Rise and fall of Bruna Little Surfer


De antemão, peço desculpas por esse título. Ainda assim, é exatamente isso que Bruna Surfistinha mostra. O filme, baseado na autobiografia O Doce Veneno do Escorpião, delineia a vida e carreira da mais famosa garota de programa que o Brasil já conheceu.

Quer dizer, eu (pelo menos) nunca ouvi falar tanto de outra… Foi em meados de 2006 que Bruna alcançou fama nacional, graças à popularidade alcançada pelo seu blog. Neste blog, ela descrevia, sem inibições, suas experiências como prostituta. Na realidade, pode-se garantir que Bruna ficou famosa por publicar o que tantos gostariam de saber, sem ter pra quem (ou como) perguntar.

O filme inicia-se com os seus últimos momentos de vida familiar. Não se explica claramente como Raquel Pacheco se transforma em Bruna Surfistinha. Raquel foi adotada por uma família que tinha plenas condições de criá-la bem. Estudou em bons colégios particulares e sempre teve tudo de melhor a seu alcance. Aparentemente, nunca passou fome, foi abusada sexualmente ou coisa do tipo.

O que se pode concluir, a partir do filme, é que Bruna nasceu do isolamento social de Raquel. Repudiada e vítima de bullying na escola, somados à descoberta de que era adotada culminaram em uma fuga, buscando na prostituição, uma tentativa de desvencilhar-se desse mundo, uma alternativa de independência.

 

Deborah Secco no papel de Bruna Surfistinha

Daí pra frente, o longa acompanha o desenrolar da sua carreira. O primeiro programa, a vida no privé, o contato com pessoas influentes (que leva aos programas de luxo), a criação do famosíssimo blog, o ápice da carreira, o profundo envolvimento com as drogas, a fortuna gerada dos programas.

Mas, logo, sua vida entra em queda-livre. O endividamento e abstinência de drogas trazem a inevitável decadência da sua vida de alto padrão, fazendo com que Bruna volte ao mais baixo escalão da prostituição, realizando inúmeros programas baratos por dia para se livrar das dívidas.

Além da história de Bruna Surfistinha, a entrega da protagonista Deborah Secco ao papel impressiona. Ela encarna o espírito de Bruna e reflete sua essência mesmo nas cenas mais quentes do filme. No geral, Bruna Surfistinha é um bom filme. Mas, mesmo levando em conta todos os aspectos técnicos e narrativos, a atuação de Deborah é, de longe, o destaque do longa.

 

Anúncios

Uma resposta para “Rise and fall of Bruna Little Surfer

  1. ton :) 13 de março de 2011 às 23:44

    Aí Rapha achei sensacional sua resenha !
    Conta muito bem a história do filme e temos a mesma opinião de que o destaque dele vai para a atuação da Deborah que está incrível

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: